Confiemos na Bondade de Deus

  1. Roteiro e falas
  2. Cenário
  3. Personagens
  4. Objetos de cena
  5. Efeitos especiais
  6. Roteiro  p/ contra regras do som
  7. Figurinos
1 – Roteiro e falas
MÚSICA 1
CENA I:
(Ao fundo do palco, a parede da frente de uma casa simples, algumas plantas no jardim, com uma pequena mesa, onde está uma cesta cheia de pães A cena tem início com esta parte sem iluminação. Uma cadeira de balanço, está colocada bem num canto da frente do palco, (à direita do espectador) como se fosse na varanda de outra casa, onde uma senhora está sentada, fazendo tricô)

 

NARRADOR:
Uma bondosa vovozinha está na varanda de sua casa tricotando. Com alegria, escuta a voz de seus netinhos chegando para uma visita.
(As crianças podem chegar correndo, pelo meio da plateia, ou das laterais do palco)
RAPAZ:
Vovó! Vovó!
MENINA:
Vovó! Chegamos!
VOVÓ:
Que bom,queridos1 Que saudade! Sentem aqui, perto de  mim . Querem um docinho?
MENINA:
Hum! Que gostoso!
RAPAZ:
Vovó, eu quero é água!
VOVÓ:
Aqui tem um suco, meu bem! Não está mais gostoso? Isto me faz lembrar uma historinha que eu estou com vontade de contar pra vocês, já há bastante tempo…
MENINA:
Conta, vovó, conta!
RAPAZ:
É uma história de quando eu era pequeno?
VOVÓ:
Não, é bem mais antiga!  Vamos imaginar tudo acontecendo.
Olhem ali…
(Ela aponta para o fundo do palco, e os netos se ajeitam para assistir, sentados no canto aos pés dela)

 

MÚSICA 2
CENA II:
(Acendem-se as luzes)
NARRADOR:
Um pai está pintando a casa, por fora, ajudado pela esposa. O filho deles chega correndo.
FILHO:
Pai, eu posso te ajudar?
PAI:
Sim, filho, podes  mexer a tinta. Mas, com cuidado!
MÃE:
Não vai derramar no chão, querido !
(O filho mexe a tinta, em cima da mesa, leva a tinta para o pai, e pede).
FILHO:
Paieeeê…
PAI:
O que foi?
FILHO:
To com fome! Me dá um pão?
PAI:
Claro, filho, ali na cesta tem um bem gostoso, a tua mãe foi quem fez.
(O pai tira a luva suja de tinta, e serve o pão para o filho, fazendo-lhe um carinho na cabeça)
FILHO:
Que bom! Obrigado, pai!
(Sai correndo, para a frente do palco, onde fica desenhando alguma coisa com o dedo no chão .A  Mãe arruma a mesa com uma toalha e coloca em cima  um prato com peixe).
NARRADOR:
A mãe começa a arrumar a mesa, e traz um belo e apetitoso prato de peixe assado para o lanche. O filho sente o cheirinho bom da comida.
FILHO:
Paieeeê.
PAI:
Que é, filho?
FILHO:
To com fome de novo. Já posso comer deste peixe?
PAI:
Sim, filho,  vou cortar um bom pedaço para você.
(O pai corta um pedaço bem grande  do peixe para o filho, que se delicia, num canto da mesa. O pai e a mãe comem só um pedaço pequeno, e depois continuam a pintar a casa. Passado um pouco de tempo o pai pega a lata de tinta e fala para a esposa).
PAI:
Estou cansado, já está ficando noite…Vamos parar o trabalho por hoje?
MÃE:
Vamos sim. E já podemos deixar tudo arrumado …
PAI:
 Vem, filho, vem! Nós já vamos dormir.
(O filho vai, mostrando a espinha do peixe, que já comeu todo. Carregam o prato e a mesa para dentro).

 

MÚSICA 3
CENA III:
(Batem à  porta, com muita força. Eles não acordam)
NARRADOR:
Eles devem estar bem cansados mesmo, porque não acordam com este barulho todo…
(Batem de novo, com mais força ainda )
VIZINHO:
Vizinho, empresta-me três pães, porque um amigo meu acabou de chegar de viagem, e não tenho nada para lhe dar de comer!
PAI:
Não posso atender, já estamos deitados.
VIZINHO:
(Insiste, batendo forte na porta)
 Por favor, preciso de tres pães! Só três pães, me ajuda, o que é que custa ?
PAI:
Não sejas importuno, não ouviste  o que eu  já disse, meu filho e minha mulher, já estão dormindo aqui deitados comigo e a porta já está trancada.
VIZINHO:
 Eu preciso oferecer alguma coisa para o meu amigo, não tenho nada em casa (Bate com insistência) Não tenho onde ir comprar, a esta hora…Abre esta porta, me atende, por  favor…
PAI:
Ta bom, ta bom! Eu vou abrir! Quantos pães você precisa? Três? Pega quatro, anda, vai.
(O pai abre a porta, bocejando e dá quatro pães para o vizinho).
VIZINHO:
(Coloca no saco ).
Obrigado, obrigado, desculpe a chateação…
PAI:
E vamos lá, tentar dormir de novo…

 

MÚSICA 3 
CENA IV:

(Saem todos estes personagens, e a avó vem para o centro do palco, explicando para os netos).

VOVÓ:
 Viram o que aconteceu? Repararam? De tanto que o vizinho insistiu, acabou recebendo o que precisava, e ainda mais um pouco …E o filho, vocês lembram? Pediu pão, depois,  peixe,  também ganhou tudo isso do pai, tudo  bem delicioso…
.
Agora prestem atenção, vejam se vocês acham que  um pai faria isso, como agora vou mostrar,   quando um filho lhe pedisse pão ou peixe para comer,
(Avó fala para dentro dos camarins).
VOVÓ:
Ei, atores, vocês poderiam mostrar aqui para a plateia o que um pai nunca faria para seus filhos ?

 

CENA V:
MÚSICA  4:
(Entram o pai e o filho, com a lata de tinta, o pai  vai pintar a parede e o filho pede para ajudar; O pai deixa que ele mexa a lata.)

 

FILHO:
 Paieeeê, to com fome. Me  dá um pão?
PAI:
 Pão ? Pega é isto aqui, aqui tens uma PEDRA !
(O pai dá uma limpadinha numa pedra, e a entrega na mão do filho)
FILHO:
Ui, pai, que horror! Não posso comer pedra…
(Pega a pedra e a coloca no chão).
FILHO:
Paieeeê, a fome agora ta maior; me dá um peixe?
PAI:
Toma, pega aí.
(Oferece uma cobra pendurada num galho).
FILHO:
Socooooooooooooooorro.
(Sai correndo, e o pai vai correndo atrás, com a cobra).

 

CENA VI:
MÚSICA 4
VOVÓ:
Nenhum pai aqui da Terra faria isto; vocês concordam?
RAPAZ E MENINA:
Nenhum!
Claro que não!
VOVÓ:
Se os pais aqui da Terra atendem o que seus filhos e até o que seus vizinhos inconvenientes pedem; quanto mais o nosso Pai do Céu, quando pedimos alguma coisa a Ele. E Ele sempre nos dará o que for MELHOR para nós. Confiemos sempre n´Ele, que quer nos ajudar.
MÚSICA 1
VOVÒ:
As vezes, precisamos insistir um pouco pedindo, como o vizinho fez, na historinha. Nós sempre conseguiremos ser atendidos . Mas precisamos pedir com FÉ e CONFIANÇA.
RAPAZ:
 È, vovó, mas eu pedi para ficar rico, e não fiquei.
VOVÓ:
Ao pedirmos vantagem materiais  e outras coisas que nos parecem boas, podemos não ser atendidos, porque Deus percebe que isto não seria bom para nós. Nem sempre o que nos parece bom, realmente o é. Até nisto precisamos confiar em Deus. Ele sabe muito bem o que precisamos. E quer nos dar o que precisamos. E nos dará! É só pedir confiantes.
MÚSICA  1
VOVÓ:
Então o  que vamos pedir?  PAZ! Porque nós estamos bem precisados!
MENINA:
AMOR também!
RAPAZ:
E que todos os moradores deste nosso MUNDO se endireitem…
Assim a vida ficará melhor…
MÚSICA 1  FIM

 

2 – Cenário
Ao fundo do palco, a parede da frente de uma casa simples, algumas plantas no jardim, com uma pequena mesa, onde está uma cesta cheia de pães A cena tem início com esta parte sem iluminação. Uma cadeira de balanço, está colocada bem num canto da frente do palco, (à direita do espectador) como se fosse na varanda de outra casa, onde uma senhora está sentada, fazendo tricô.

 

3 – Personagens
Narrador
Vovó
Rapaz
Menina
Pai
Mãe
Filho
Vizinho

 

4 – Objetos de cena
-1 Cadeira de balanço
-2 almofadas
-2 Agulhas de Tricô, com o pedaço de um cachecol começado e 1 novelo de lã
-1 Mesinha pequena para as coisas da avó
-Docinhos
-1 Jarra de suco
-1 Copo
– 1Cesta com pães
-1 mesa maior para as coisas da família
-1 toalha de mesa
-1 Prato grande com peixe (de papier maché)  já cortado em três pedaços, um bem maior  que os outros, mas bem encaixados para não caírem do prato ao serem transportados
-1 pedra  tamanho de uma pera
-1 cobra de plástico amarrada com um arame, num pedaço de pau
-1 lata de tinta, com um pedaço de madeira dentro para mexer
-2 pincéis
-2 luvas de borracha sujas de tinta para o pai
-2 luvas de borracha para a mãe

 

5 – Efeitos especiais
Não são necessários. Somente manter apagada a luz de fundo do palco no início, e acendê-la quando começar a Cena 2  Colocar a luz somente sobre a vovó no começo.

 

6 –  Roteiro p/ contra regras do som
Música 1 – Música suave, alegre
Música 2 – Música rápida, forte, marcando a ação de pintar a casa
Música 3  – Música de ninar, para marcar que foram dormir
Música 4 – Música cheia de sons caóticos, para marcar que será apresentado algo errado

 

7 – Figurinos
Narrador –  roupa contemporânea normal
Vovó – Vestido comprido, xale nas costas, óculos, cabelos  penteados em coque.
Rapaz  – Roupa contemporânea, normal, para fazer visita à avó.
Menina – Roupa contemporânea normal, para fazer visita à avó.
Pai – Roupa contemporânea velha, para trabalhar com pintura.
Pai – (cena III) Roupão para mostrar que estava já com roupa de dormir.
Mãe – Roupa contemporânea mais simples, de ficar em casa.
Filho – Roupa contemporânea simples, de brincar em casa, calça curta e camiseta.
Vizinho – Roupa contemporânea mais simples, de ficar em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *