Pão-por-Deus

Esta tradição folclórica tão interessante e poética praticamente desapareceu em nosso meio, mas ainda nos encanta. Para mostrar como era este costume e suas origens, posto aqui alguns exemplos e em seguida duas pesquisas que não deixarão dúvidas, pois contem explicações bem embasadas.

Exemplos de Pão-por-Deus:

“Lá vai meu coração
Nas asas de uma andorinha
Vai pedir o Pão-por-Deus
Nem que seja uma sombrinha”

 

“Aqui vai meu coração
Com muito amor e carinho
Vai lá pedir Pão-por-Deus
Ao meu querido padrinho”

 

“Voa, voa coração
Deste que saudades tem
Vai lá pedir Pão-por-Deus
A quem tanto quero bem”

 

“Lá vai meu coração
Sozinho sem mais ninguém
Vai pedir o Pão-por-Deus
A quem quero tanto bem”

 

“Lá vai meu Pão-por-Deus
Nas asas da andorinha
Espero que você
Tenha saudade minha”

 

“Meu coração é um sininho
No bico de uma gaivota
Não tenho outro caminho
Tu és minha única rota”

 

“Ó bela moça dourada
Desta ilha encantada
Me mande o Pão-por-Deus
E seja  minha amada”

 

“Vim de longe,muito longe
Trazendo o Pão-por-Deus
Muitas léguas e caminhos
Já trilharam os passos meus”

 

Exemplos de como eram feitos os “ Pão-por-Deus”
Fotos (em breve…)

 

Primeira pesquisa sobre PÃO-POR-DEUS  
(Texto pesquisado e elaborado por Rosane Volpatto)

O Pão-por-Deus é uma forma artística folclórica de “pedir-os-reis”, ou seja, uma contribuição cultural trazida pelos imigrantes açorianos.

Nos arquipélagos dos Açores e Madeira, tais pedidos eram feitos nos dias 1 e 2 de novembro, enquanto que aqui no Brasil, acontecia nos meses anteriores. Lá, eram as crianças que pediam pão e guloseimas. Aqui, graças à dinâmica do folclore, passou a ser utilizada, entre os enamorados, para pedir amor. Aliás, sabemos que não só de pão vive o homem!

A pureza destes costumes davam à vida simples do nosso povo, o mais belo dos encantos, com o envio do pão-por-Deus. Esta comunicação singela e romântica em forma de mensagens de amor, simpatia e amizade eram escritas em lindos papéis rendilhados, coloridos, em forma de coração, ou de acordo com a sensibilidade artística de cada um.

As mensagens em versos circulavam entre os namorados, parentes e pessoas amigas e os pedidos de prendas traduziam os mais caros sentimentos dos autores.

Alguns exemplos:

“Aqui vai meu coração
Dentro de um bouquet de flor
Vai pedindo pão-por-Deus
Meu querido e grande amor”

 

“Lá vai meu coração
Meu querido visitar
Vai pedir o pão-por-Deus
Perdoe o amigo, incomodar.”

 

“Por serem lindos teus olhos
Que um dia serão meus
Brilharão também teus olhos
Eu te peço pão-por-Deus”

 

“Lá vai meu coração
Que agora não posso ir
Neste rendilhado papel
Pão-por-Deus mando pedir”

 

Quem recebe um pedido de “Pão-por-Deus”, fica na obrigação de responder até o Natal, enviando uma oferta ao solicitante.

Foi na região de São Francisco do Sul, em Santa Catarina , onde o pão-por-Deus mais penetrou na vida do povo, existiram ali casas que se dedicavam à confecção deles, apresentando aos consumidores as mais variadas formas de cartões, com preços que também variavam de acordo com  o trabalho artístico. As simetrias no Pão-por-Deus são um detalhe de muita importância na elaboração de sua forma. A criação da figura, desenhos geométricos e recortes abertos ou fechados e perfeitamente simétricos, dão beleza, encanto e precisão a esse costume tão rico em forma, sentido e sensibilidade.

É uma lástima que hoje, com o advento da era da computação e o aparecimento dos cartões virtuais, tradições tão puras e românticas tenham caído em quase total desuso.

O “Pão-por-Deus” tem sido motivo de interesse e pesquisa de historiadores, jornalistas, escritores, folcloristas, no passado e no presente. Nomes como: Crispim Mira e Lucas Alexandre Boiteux, no início do século XX; Osvaldo Rodrigues Cabral e Henrique da Silva Fontes, em um passado recente, e Doralécio Soares, no presente, deram a sua contribuição ao tema, seja pela discussão de suas origens ou pela coleta de quadrinhas e tipos de corações.

Henrique da Silva Fontes realizou a síntese dessa discussão:

“Os corações-missivas de simpatia, de amizade ou de amor, a que se dá o nome de Pão-por-Deus constituem velho uso da população do litoral catarinense. É, entretanto, o uso que está em vias de desaparecimento, pois só é mantido, e sem a antiga gentileza e generalidade, em pobres localidades rurais.

O pedido é feito em verso, comumente numa quadrinha setessílaba. O papel da missiva, branco ou de cor, é rendilhado a bico de tesourinha, ou também entrançado, podendo ser ainda variadamente colorido e ornamentado. Arma-se, às vezes, como cestinha e pode apresentar-se com outras formas. Em regra, porém, na configuração e nos recortes, estiliza um coração símbolo que dá o nome à missiva”.

Quanto às origens, diz Henrique da Silva Fontes, “os corações” não vieram de Portugal e suas ilhas povoadoras do litoral catarinense. “O que recebemos dos portugueses e dos açorianos foi a expressão Pão-por-Deus, corresponde, é certo, a um pedido e a uma dádiva, mas com forma e objetivo diferente” e acrescenta, transcrevendo Osvaldo Rodrigues Cabral:

“É evidente que o pão-por-Deus sofreu com a viagem através do Atlântico e dos séculos que passaram, modificações que poderão ser assim resumidas:

1 – quanto à época: lá, quer nas ilhas açorianas, quer no arquipélago da Madeira, o dia do peditório é o 01 de novembro, ou então, o mais tarde, o dia 2, dia de Finados; aqui estas datas marcam o fim da temporada do peditório.

2 – quanto às pessoas: lá são os meninos que pedem pão, guloseimas, etc.; aqui, o costume foi modificado, passando os pedintes a ter qualquer idade e o objeto do pedido qualquer outra coisa, até mesmo amor…

3 – quanto ao meio de fazer o pedido: lá, as cantorias infantis ou as solicitações simples; aqui, adotado o costume pelos adultos, criaram-se os “corações”, apropriados para as solicitações amorosas. Em outras palavras: lá, a solicitação oral; aqui, escrita e, com esta, a invenção da missiva simbólica. Não obstante a transformação porque veio a passar, o costume conservou, entretanto, o nome e a época do pedido”.

Texto pesquisado e elaborado por Rosane Volpatto   

Bibliografia consultada por ela:
Folclore Brasileiro, Santa Catarina – Doralécio Soares
Folclore Catarinense – Doralécio Soares 

 

Complementando…

Segunda pesquisa sobre PÃO-POR-DEUS 
(O texto seguinte foi retirado de Piazza, Valter F. Em Boletim catarinense de folclore, ano VI, nº 22, Florianópolis, janeiro de 1956):

 

OS PRESENTES  
Quem recebe essa demonstração de amizade expressa pelo “Pão-por-Deus”, fica na obrigação de retribuir com um presente, cujo valor não tem limites, e costuma ser bem diversificado.

Nos Ganchos, município de Biguaçu, são comumente dados corações de massa de trigo como presentes para aqueles que pedem o “Pão-por-Deus”.

É entretanto, necessário frisar que há uma certa obrigatoriedade no atendimento do pedido de Pão-por-Deus, sob pena de Divino Castigo, visto não se dever negar aquilo que é solicitado em nome de Deus, como afirma o povo.

VARIANTES
Na 2ª linha dos versos do Pão-por-Deus, apresentam-se variantes, numa multiplicidade deveras atraente: ora é “na asa de uma andorinha” pedindo “à minha querida madrinha” ou “nem que seja uma sombrinha”…., ora “nas asas de uma marreca” pedindo “uma boneca”, ora, ainda, “nas asas de um beija-flor” pedir “a quem tenho tanto amor” ou “nas asas de um besouro” pedir “uma correntinha de ouro”.

 

EXEMPLOS DE PÃO-POR-DEUS: 

“Lá vai meu coração
Já que eu não posso ir
Vai levar lembranças minhas
Pão-por-Deus vai lhe pedir.”

 

“Lá vai meu coração
Já que eu lá não posso ir
Vai saudade, vai lembrança,
Pão-por-Deus mando pedir”.

 

“Lá vai meu coração
Entre cravos e cravinas.
Vai pedir o Pão-por-Deus
Aquela linda menina.”

 

“Lá vai meu coração
Arrodeado de flor
Vai pedir um Pão-por-Deus
A quem pode e tem valor,”

 

“Lá vai meu coração,
Estrela da luz do dia.
Se eu não lhe quisesse bem
Pão-por-Deus não lhe pedia.”

 

“Lá vai meu coração
Com prazer e alegria
Vai pedir o Pão-por-Deus
Antes que se acabe o dia!”

 

“Ai vai meu coração
Cheio de letra dourada
Vai pedir um Pão-por-Deus.”
Ao meu amigo e camarada.”

 

“Aqui vai meu coração
Rodeadinho de flor
Vai pedir um Pão-por-Deus
Minha prenda, meu amor.”

 

“Lá vai minha cartinha
Cheia de ramo de flor.
Vai pedir um Pão-por-Deus
Ao meu querido amor.”

 

“Ai vai meu coração
Porque lá não posso ir
Muita lembrança e saudade
Pão-por-Deus mando pedir.”

 

“Aqui vai meu coração
No jardim enflorecido
Vai pedir um Pão-por-Deus
Para o meu amor querido.”

 

“Lá vai este bilhete
Na asa de uma andorinha
Mandando pedir Pão-por-Deus
Para minha querida madrinha.”

 

“Aí vai este bilhete
Nas asas de um passarinho
Vai pedindo Pão-por-Deus
Ao meu querido padrinho.”

 

“Lá vai meu coração
Todo cheio de tristeza
Mandando pedir Pão-por-Deus
Quero saber uma certeza.”

 

“Lá vai meu coração
Por este mundo sem fim,
Pedindo um Pão-por-Deus
Pra que não esqueças de mim.”

 

“Lá vai meu coração
Cheio de laço de fita
Mandai-me um Pão-por-Deus
Rica prenda bonita.”

 

“Lá vai meu coração
Amarrado com cipó
Mando pedir Pão-por-Deus
Nem que seja um pão de ló.”

 

“Não peço por pedir.
Peço por conhecimento
Não peço muita coisa
Eu com pouco me contento.”

 

“O pedir é vergonhoso
Para quem vergonha tem
Eu lhe peço Pão-por-Deus
É que lhe quero bem.”

 

“Eu te peço um Pão-por-Deus
Não é por necessidade
É só para experimentar
Se tu me tens amizade!”

 

“Se peço um Pão-por-Deus
Não é por necessidade.
É para que fiques sabendo
Que ainda existe amizade.”

 

“As palmas de tuas mãos
São lindas e deliciosas
Me mandais os Pão-por-Deus
Meu lindo botão de rosa.”

 

“És bonito, és simpático,
Guarda a tua simpatia
Me mandas os Pão-por-Deus
Antes que acabe o dia.”

 

“Cabelos de ouro fino,
Olhos de diamante,
Mandai-me os Pão-por-Deus
Estrela do céu brilhante.”

 

“Minha flor, minha bonina,
Meu cravo, meu diamante,
Me mandas um Pão-por-Deus
Meu querido amor constante.”

 

“És o mimo do Brasil,
És o amparo da flor,
Mandai-me o Pão-por-Deus
Prenda de tanto valor.”

 

“És bonito como o sol
Que anda na vista de Deus
Pelo amor que eu te tenho
Me manda o Pão-por-Deus.”

 

“Pequenino, engraçadinho,
Viradinho para Deus
Para ser mais queridinho
Mandai-me um Pão-por-Deus.”

 

“És tão bonitinho,
Para Deus
Ficarás mais bonitinho
Se me deres Pão-por-Deus.”

 

“Os anjos pedem para os santos
Os santos pedem para Deus
Eu peço para minha comadre
Que me mande um Pão-por-Deus.”

 

“Se os anjos do céu gozassem
Um olhar dos olhos teus
“Desciam do céu à terra
Se me desses um Pão-por-Deus.”

 

“Sei que me és ingrata
De mim não te compadeces,
Mas tenho esperança
Que o Pão-por-Deus não esqueces.”

 

“Meu coração vai pedindo,
Nesta data, o Pão-por-Deus,
Para provar que me lembro
de quem de mim se esqueceu.”

 

“Por uma banda, cravo e rosa,
Da outra, flor em botão,
Me mandais um Pão-por-Deus,
Prenda do meu coração.”

 

“Meu coração vai fechado
Para a boa amiga além
Pedindo um Pão-por-Deus
De quem muito te quer bem.”

 

“Por ser pessoa tão nobre,
Não mereço agrados seus,
Me desculpa a confiança,
De lhe pedir Pão-por-Deus.”

 

“Não te peço pessoalmente,
Mas te peço de cartão
Me manda um Pão-por-Deus,
Amigo do coração.”

 

“Por ser a primeira vez
Que minha letra vai lá
Manda-me Pão-por-Deus
Que eu sei te recompensar.”

 

“Eu moro longe em distância,
Não posso dizer adeus.
Aceites minhas lembranças,
Me mandes um Pão-por-Deus.”

 

“Folha de malva maçã,
Delicado amor perfeito
Manda-me os Pão-por-Deus
Se o coração for aceito.”

 

“Meu coração pequenino
Saiu hoje, a passear,
Vai pedir um Pão-por-Deus
Com esperança de ganhar.”

 

“Eu mando meu Pão-por-Deus
No bico de um sabiá
Pedindo que ele espalhe
Quanto eu sei te amar.”

 

“Deus pediu aos anjos
Anjos pediram a Deus
Eu mando pedir a Vós
Meu lindo Pão-por-Deus.”

 

“Aqui vai meu coração
Pedindo teu socorro
Se me deres Pão-por-Deus
Desta vez meu bem não morro.”

 

“Aqui vai meu coração
Dentro de um buquê de flor
Vai pedindo Pão-por-Deus
Ao meu querido amor.”

 

“Bem sei que sou casada
Não mereço agrado seu
Como casada estimo
Que me mande Pão-por-Deus.”

 

“Lá vai meu coração
Nas asas de uma andorinha
Vai pedir o Pão-por-Deus
Nem que seja uma sombrinha.”

 

“Pão-por-Deus é sim
Esperança de grande amor
Mas se tu não correspondes
Me causas profunda dor.”

 

“Vai vai, minha saudade
Neste Pão-por-Deus voar
Encontrar o meu amor
Com quem quero casar.”

 

“Colar de branca espuma
Brinca na onda do mar
Se não me dás Pão-por-Deus
De ti não vou mais gostar.”

 

“Lá vai meu coração
Todo cheio de carinho
Vai pedir o Pão-por-Deus
Para o meu lindo vizinho.”

 

“Em sonhos vai meu coração
Levar o Pão-por-Deus
Pedindo não digas não
Ao olhar dos olhos meus.”

 

“Na areia da praia escrevi
Teu nome com a ponta do dedo
Espero que este Pão-por-Deus
Me faça descobrir teu segredo.”

 

“Desce a lua, sobe o sol
Desce o sol, lá sobe a lua
Se me deres o Pão-por-Deus
Minha vida é toda tua.”

 

“Meu coração é um sininho
No bico de uma gaivota
Meu amor este Pão-por-Deus
Não é nenhuma lorota.”

 

“Partido pela saudade
Lá vai o meu coração
Me dá a outra metade
Que guardas na tua mão.”

 

“Lá vai o meu coração
Correndo o mundo sem fim
Chega lá bate na porta
Pede o Pão-por-Deus por mim.”

 

“Cupido leva esta flor
Entrega ao amor perfeito
Se pedires o Pão-por-Deus
Pede com todo respeito.”

 

“Lá vai meu coração
Retratado em uma flor
Vai pedir o Pão-por-Deus
A quem tenho tanto amor.”

 

“Eu nada quero do mundo
Nada quero de ninguém
Basta aquela luz brilhante
Do olhar vivo do meu bem.”

 

“Brilha o sol e brilha a lua
Brilham os lindos olhos teus
Brilhante serás em tudo
Se mandares o Pão-por-Deus.”

5 ideias sobre “Pão-por-Deus

  1. Olá!!sou Ailson natural de Florianópolis filho e neto de nativos de ponta das canas onde ainda moro. Venho pesquisando sobre o pão-por-Deus para obter melhor conhecimento sobre o assunto e vim parar neste site onde me informou mais sobre o assunto. Bem no meu bairro cultivou-se a forma de pedir o pão por Deus dos Açores. Criancas sai na rua a gritar o pão por Deus para receber golozeimas, em minha época ainda tinha os engenho de farinha e com isso ganhava-mos roscas,beiju,ovos e frutas porém fui só ter o conhecimento da forma em pedir o pão por Deus em corações com versos um mais tarde. Hoje vejo essa tradição se acabando. Tenho uma menina de três anos e ela sai comigo a pedir desde seu primeiro ano de idade. Em uma forma de resgatar essa linda tradição estou tomando a iniciativa de misturá essas duas formas. Sendo q ao receber as golozeimas minha filha irá dar em troca os corações com verso em forma de gratidão pelo o que foi dado. Espero não estar fazendo algo pra desfigura e sim de agregar. Um forte abraço e pão-por-Deus!!

    • Espero que tenhas recebido minha resposta completa via e-mail. Parabéns pelo seu empenho em difundir o nosso folclore, mas aconselho a não misturar as duas formas de expressão do Pão-por-Deus. Abraços.

Deixe uma resposta para Ailson Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *